Capítulo 6 – Criando o estilo XUI

Michael Good

Nota do autor: XUI é um termo utilizado no livro para se referir a um conjunto de métodos e objetivos de padrão de interface, buscando no Google não é encontrado resultados rápidos pois o termo não se popularizou como “X Window System” e “DECWindows”.

O X se originou no Projeto Athena no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) em 1984. O protocolo X está na versão 11 (daí “X11”) desde setembro de 1987. A Fundação X.Org lidera o projeto X

Wikipedia

Em 1988 a criação do DECWindows já considerava diferentes tamanhos de monitores e até mesmo tablets, utilização de mouses com “muitos” botões, assim poderia ser utilizado desde pequenas telas até monitores maiores (nota do autor: está é uma preocupação constante e muito importante nos dias atuais, pois a variação de tamanhos e resoluções é ainda maior).

Este projeto envolveu centenas de pessoas, desde engenheiros, marqueteiros, escritores, administradores, vendedores, suporte, todos foram envolvidos em diferentes linhas do produto ao redor do mundo.

Método inclui a seguinte lista:

Guia de estilo de interface do usuário: uma técnica comum para criar consistência no estilo de interface do usuário é criar um guia de estilo (Apple 1987). Guia de estilo descreve o elemento do estilo da interface do usuário e mostra exemplos do seu uso, também pode conter filosofia e princípios que descrevem conceitos. Oo guia XUI tinha próximo de 150 páginas e 50 ilustrações.

Caixa de ferramentas ou toolkit: Guias de estilo tendem a ser mais efetivos quando acompanhado por ferramentas de desenvolvimento, do que só ter a sua implementação seguindo recomendações.

Consultoria e design: Carrol Campbell, em 1988, propôs que artefatos computacionais carregam teorias implícitas de interação humano-computador que muitas vezes não podem ser deduzidas em teorias explícitas (nota do autor: caso clássico de conhecimento tácito x explícito).

Comunicação eletrônica: centenas de pessoas trabalhando nesse projeto deveriam estar sempre em contato via e-mail (nota do autor: algo muito incomum e 1988, inovador para a época) até mesmo conferências eletrônicas mais de mil vezes foram usadas.

Desenvolvendo uma nova interface de estilo: dificuldade inicial é que o guia tocava muito na descrição de forma muito analítica dos estilos, assim, os desenvolvedores tentavam fazer implementações que eram muito diferentes uma das outras. Perceberam que desenvolveram o novo guia de estilo é como desenvolver uma nova academia de artes, a “XUI School of Design”, alguns padrões arquitetônicos, como Barroco, Gótico, em música, pintura, são facilmente reconhecidos após o contato com alguns exemplos.

Uma das soluções foi compartilhar protótipos de forma antecipada, pois fotos estáticas e abstratas de produtos de interfaces não comunicam tão bem quanto protótipos que podem ser utilizados.

Feiras de negociação de interface do usuário: percebeu-se uma enorme quantidade de diferentes protótipos, que muitas vezes não conversavam entre si e apesar, de seguirem o guia, muitas vezes não era nem sequer usáveis. Então foi “roubada” uma ideia das artes novamente e criou-se uma feira ou uma galeria para a disposição destes protótipos, onde 45 times puderam exibir seus designs para mais de 600 pessoas, que compareceram, desde engenheiros, administradores, escritores de software.

Além de ter gerado um excelente documento, essa feira permitiu algo muito mais importante que foi a criação de relacionamento entre as pessoas e equipes, times da Nova Inglaterra, Califórnia e França se conheceram nesse evento.

Após essa feira a impessoalidade por trás de troca de mensagens eletrônicas foi menor e uma convergência de interfaces começou a surgir com o tempo. Após um ano, uma segunda-feira chamada DECWindows Enterprise Fair foi criada, dessa vez com 55 exibidores e mais de 5500 pessoas em dois dias de evento, focando muito mais em protótipos funcionais do que slides.
Afinal, o sucesso da iniciativa foi graças a testes constantes de usuários e recebimento de feedback, os quais designers conseguiram fazer trade-offs.

Nota do autor: o resultado desta iniciativa foi tão poderoso que a sua implementação está em voga desde 1987, sendo o padrão do sistema Unix desde então, estudar o processo do seu desenvolvimento é entender a chave do sucesso de um guia de estilo tão duradouro e importante.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>