Capítulo 5 – Como o MacIntosh Atingiu Consistência

Bruce tognazzin

O computador MacIntosh atingiu um alto nível de consistência no seu software pelos esforços e planejamento da Apple Computer Corporation. Mas, de certa forma, podemos dizer que muito desse crédito se deve a fontes externas, como os desenvolvedores que criaram as aplicações, a imprensa que foi vigilante nas suas expectativas de consistência e até os usuários finais, que demandam alto nível de consistência, nunca visto antes nos computadores.

Assim que a gente observa que muitos desses elementos estão mais relacionados a pessoas do que com hardware e software, boa parte dos esforços era para que novos programas não parecessem uma nova aventura para o usuário do Apple 2. Consistência se tornou uma chave para acessibilidade.

A história da Apple mostra que seus computadores são lançados depois dos guidelines interface, algumas vezes, até mesmo meses após, quando já existe até uma segunda edição do guia.

No geral podemos agrupas as recomendação em tópicos:

  • Flexibilidade: é necessário certo nível de flexibilidade para que o desenvolvedor não abandone o toolkit de interface e tente que criar a sua própria.
  • Promoção: a Apple tinha um conhecido grupo chamado evangelistas, quem incentivavam e convenciam os desenvolvedores a fazer produtos de acordo com os guias da Apple.
  • Usuários: são primeiramente os mais beneficiados pela consistência, porém, em certo ponto acabam se tornando os maiores críticos quando percebe a sua falta. Um princípio simples é o sistema não usar mensagens de erro dizendo que o usuário está errado, mas que o sistema foi mal concebido.
  • Pessoal de vendas: esses deveriam aprender em menos de 5 minutos a atualizar o software, do contrário o abandonariam.
  • Imprensa: semearam notícias de que o MacIntosh seria um computador com uma interface humana consistente. O que acabou criando um comprometimento mútuo e cobranças.
  • Mouse: fazer interfaces para computadores sem mouse o que implicava na obrigação dos desenvolvedores tem uma interface para seus programas que funcionar sem sem o mouse (nota do autor: pode parecer ridículo nos dias de hoje pensar que para reduzir custos computadores eram empacotados sem o mouse).
  • Suporte: para o sucesso de uma guidelines de interface é necessário suua implementação seja mais fácil do que evitá-la. Também, deve-se considerar que kit básico pode ser customizado, então deve ser distribuído como módulos e não impedir o usuário programador de fazer alterações.
  • Expansão: os guias interfaces da Apple nunca estão prontos, pois eles são constantemente revistos.
  • Quality Assurance: existe um pessoal treinado para encontrar bugs e inconsistência nas interfaces dos programas, sempre levando seus feedbacks para os desenvolvedores.
  • Teste de Usuário: por fim, nada substitui o teste humano de interfaces com membros do público alvo. É impossível prever com clareza o que os usuários finais esperam no programa, então é preciso equilíbrio.

A conclusão é que muito do sucesso do MacIntosh da Apple pode ser pela sua consistência do olhar e sentir (look and feel). A consistência foi uma ideia abraçada por toda equipe.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>